História de Buda e Angulimal: Onde Escolhes Colocar a Tua Imensa ENERGIA Criativa?

Hoje, Conto a História do Encontro entre Buda e Um Assassino.

Medita e Age com Confiança, Coração e Coragem. Com um Espírito Integralmente Abundante de Serviço à Vida, Materializa o Teu Único e Precioso Sonho.

Bem Hajas, Caminhamos Juntos 🙂

Viva. Hoje venho-te contar uma história.
A história é sobre energia, e conta o encontro entre uma dos maiores assassinos da História e Buda.


O assassino chamava-se Angulimal, que quer dizer “o homem que usa uma grinalda de dedos”.
Angulimal tinha escolhido usar a sua energia para matar, e o seu voto era conseguir matar 1000 pessoas. E já tinha 999, correspondentes a todos os dedos que tinha na sua grinalda.

Claro que cada vez era mais difícil encontrar pessoas porque toda a gente já sabia que, naquela zona, vivia aquele assassino, e deixaram de passar na sua estrada perto das colinas, onde ele vivia.

Até a própria mãe dele, um dia, quando o foi visitar (era a única pessoa que ainda o visitava), ele disse-lhe:
“Eu preciso desesperadamente de mais uma pessoa, porque este é o meu voto. Foi assim que eu escolhi usar esta minha energia. Por isso tenho de te avisar, a próxima vez que vieres a responsabilidade será tua.”

A partir daí a mãe deixou de vir.

Até que Buda estava pela zona e, claro, não sabia o que se passava. Mas rapidamente o avisaram:
“Olha, ali vivi aquele homem. Não passes naquela estrada porque ele é muito perigoso.”

Buda ficou fascinado, ao mesmo tempo viu ali um grande desafio e disse:
“Não, não. Esse é um desafio que eu não posso perder. Se esse homem é assim eu tenho que ir e alguma coisa irá acontecer. Ou ele morre, ou eu morro. Mas o encontro vai acontecer. Por isso, mostrem-me o caminho.”

E assim foi. Buda aproximou-se de Angulimal. Claro que os seus discípulos foram ficando para trás porque, apesar de tudo, havia um medo latente. Queriam saber o que é que ia acontecer, mas foram ficando para trás e ele foi avançando.

E Angulimal viu-o mas, era assim de manhã, o sol estava a nascer, a soprar uma brisa fresca, começou a ver aquele homem a aproximar-se e tinha uma energia tão terna que, mesmo ele, mesmo com o coração de pedra de Angulimal, sentiu ali alguma ternura. E começou a vê-lo a aproximar-se cada vez mais, cada vez mais, até que disse:
“Pára! Não dês mais nenhum passo! Tu sabes quem eu sou?”

E Buda continuou:
“Hm… Será que sabes quem és?”

E continuou a avançar na sua direção.
E Angulimal começou a tremer, as mãos começaram a tremer, porque realmente nunca tinha visto assim ninguém tão corajoso e tão inocente ao mesmo tempo. A energia sentia-se, era palpável. E começou a duvidar, começou com as mãos a tremer.

Buda continuou a aproximar-se e, ás tantas, Angulimal disse:
“Espera. Eu posso esperar. Há mais pessoas no mundo. Tu pareces tão inocente, eu não te quero matar, não te quero tirar a vida.”

E Buda disse:
“Então mas porquê? Estás tão hesitante? Eu estou pronto. Olha mas, já agora, gostava que me satisfizesses um último desejo.”

E Angulimal “Okay…”

“Então repara, usa a tua espada e corta um ramo dessa árvore, dessas que têm as flores mais bonitas, porque eu gostava de as cheirar uma última vez antes de morrer.”

História de Buda e Angulimal Newsletter do Jardineiro de Sonhos

Angulimal assim fez. Cortou o ramo da árvore e deu a cheirar a Buda as flores. E Buda disse:
“Ah, isso é só uma parte do desejo. Agora quero que voltes a colocar o ramo na árvore.”

Angulimau riu-se:
“Eu já sabia que tu eras louco, mas não tão louco. Como é que queres que eu faça isso?”

“Pois, é que se tu não podes criar, não podes dar a vida, não tens qualquer direito de a retirar.”

Angulimal, depois de um momento de silêncio, caiu aos pés de Buda e transformou-se.

Esta é uma história muito bonita, eu gosto em especial dela por isso escolhi hoje para te contar.

Buda disse aos seus discípulos depois, que estavam até algo hesitantes dizendo “Mas não podes iniciar este homem, este homem é um assassino. Vês o que ele fez? Todas estas pessoas que morreram nas suas mãos?”

“Pois é. Mas ele já não é mais o mesmo. Tomou consciência com a minha energia, e estava no momento certo. E agora ele vai enfrentar o mundo com consciência, que é muito mais poderoso do que uma espada.”

Enfim, hoje o voto era contar-te a história para que medites sobre isso.

Também, esta semana veio-me uma questão realmente “Para quê esta meditação? Para quê o meditar?” Apesar dos seus inúmeros benefícios é importante que nós tenhamos em mente o nosso voto.

Qual é realmente o nosso desejo mais intimo que nós queremos satisfazer?
O que é que nós vamos servir?

Artigo Relacionado: Responde com Sinceridade – Quem És e o Que Vieste Materializar?

E é importante que escolhas colocar a tua energia de forma criativa porque, se não, ela vai encontrar formas talvez menos bonitas de se manifestar.
E essa também era a mensagem de hoje.

A história é sobre energia, o que é que nós escolhemos, qual é o nosso voto, qual é o nosso desejo mais íntimo.

E então era com essa reflexão que te queria deixar hoje: Cuida do teu desejo mais íntimo porque ele, esse mesmo desejo, cuida de ti, se tu assim o cuidares dele.

E esse é o meu trabalho: ser um cuidador de desejos. Um Jardineiro de Sonhos é um cuidador de desejos.

Artigo Relacionado: O Que é um Jardineiro de Sonhos?

Estou aqui para te ouvir e te dar atenção, e cuidar do teu desejo mais intimo porque a existência precisa que tu o manifestes de forma saudável, criativa, e da forma mais bonita que só tu, só o teu ser, o pode fazer.

Muito grato e até à próxima.
Vemo-nos por aí.
Muito grato.

José Parreira,
Jardineiro de Sonhos


Gostaste deste Artigo? Provavelmente também Vais Gostar Destes!
» Do Resistir ao Suster… Para Progredir
» Gratidão, Amor e Espírito de Serviço
» O Valor de Estar Presente
» 8 Atitudes Fundamentais do Meditador Transpessoal

Related posts

Leave a Comment

Ao publicar um comentário neste site, concordas com a politica de privacidade do site acerca de como os teus dados são guardados e geridos.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.